O muito às vezes é pouco..

..ou às vezes o muito não é o suficiente.

Ahh o amor..

Sentimento complicado de ser definido, de ser descrito, de ser sentido. Existe a idéia de que o amor não nasceu para ser definido, descrito, ele existe simplesmente para ser sentido. Quando começamos a querer defini-lo, passamos a racionalizar o sentimento, e isso se torna impossível ser concretizado efetivamente.

Outro processo que acontece é o de tentarmos quantificar o amor. Hoje em dia ficou muito banal chegarmos em uma pessoa e dizermos “Eu te amo”. Antigamente parece que essa expressão tinha mais significado, vinha mais carregada de sentimentos, que era somente dita com total certeza da existência de 100% desse sentimento em relação à outra pessoa.

Atualmente dizer “Eu te amo muito” tem vários significados. O ‘muito’ tomou vários significados. Eu posso virar para uma pessoa que amo com todas as minhas forças e dizer “Eu te amo muito” e isso significar o mesmo que uma pessoa que ‘ama’ por interesse, ou que nem ama, mas acha que ama outra pessoa. O meu ‘muito’ se fosse  qualificado valeria 100%, ao passo que o ‘muito’ de outras pessoas vale menos que isso.

Com isso as pessoas percebem que mesmo falando tudo isso, não conseguem demonstrar suficientemente o amor que sentem, tendo que recorrer ao processo de quantificação desse amor, já que a qualidade não está mais sendo tão visível, pela banalização da expressão “Eu te amo” ou “Eu te amo muito”. Aí a pessoa conta, em dias, meses, anos, atitudes, promessas, o quanto ela ama a outra pessoa. Ao invés de demonstrar em qualidade o sentimento, demonstra em quantidade.

Muitas vezes nos pegamos tentando provar quantificadamente o quanto amamos determinada pessoa. Porque parece não ser mais suficiente apenas dizer “Eu o amo”. Não significa nada, se você não despender um tempo para isso, despender sacrifícios, e demonstrar isso em forma de números, “Eu o amo há mais de x anos” ou “fiz x dias de jejum por ele”. Só que quem sente verdadeiramente o amor sabe que números não são nada em comparado àquilo que é sentido, afinal quem ama incondicionalmente uma pessoa sabe que é capaz de amar para sempre essa pessoa, e o pra sempre não é mensurável, o infinito é infinito por não ser mensurável. O amor não é mensurável.

É isso.

♫ Queen – Bohemian Rhapsody

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s