Project 365 – 059/365

Imagem

EFEITO DUNNING-KRUEGER E COR DO CABELO

É engraçado como certas pessoas são teimosas, a ponto de defender uma ideia, mesmo esta ideia sendo errada. Por incrível que pareça isso tem um nome, e se chama Efeito Dunning-Krueger, que é basicamente definido como “aquilo que faz com que pessoas com pouco conhecimento sobre algo acreditem saber mais que os outros sobre este algo”. Ou seja, a pessoa tá errada, defendendo uma ideia errada, mas tem que mostrar que sabe mais que todos ao seu redor, então teima em socar a informação errônea guela abaixo de todos que discordam dela. Ter alguém na família que age desta forma seria cômico, se não fosse trágico. É meus amigos, meu pai é assim, e não sei se é por conta da idade estar avançando, mas isso tem piorado bastante, a ponto de causar brigas constantes, a princípio, por bobagens. Em geral, os motivos das brigas são idiotas, mas na verdade são um pretexto para uma batalha entre egos jamais vista. De um lado, eu, com meus argumentos jorrando lógica e filosofia, que muitas vezes escapam do entendimento dos demais. Do outro, meu pai, que na maioria das vezes está equivocado em seus argumentos, não usa lógica, e cai no efeito Dunning-Krueger, somente para assegurar sua virilidade como “O Homem da Casa”. Ou seja, não importa o argumento, ele sempre está certo, e eu sempre tenho que aceitar de cabeça baixa a pseudo-derrota. 

Mudando de assunto, decididamente não pretendo pintar meu cabelo de escuro tão cedo. Parece que agora eu realmente me acostumei com o cabelo claro, e tô simplesmente amando isso.

Acho que não tenho mais nada de interessante pra falar aqui.

Até mais.

(:

Anúncios

Project 365 – 058/365

Imagem

 

SKYFALL

Se existe uma música que eu ouviria pelo resto da minha vida, essa música seria Skyfall, da Adele. Não conheço muitas músicas dela, conheço os hits, aquelas que tocam mais das rádios, tipo Rolling in The Deep, Someone Like You, e agora Skyfall. Aliás, eu só conheci esta música quando fui ver o filme do 007 no cinema. Nas primeiras 3 palavras da primeira estrofe eu já sabia que a música era da Adele, sem nunca tâ-la ouvido. 

(:

Project 365 – 057/365

Imagem

 

O MALUCO DO FACÃO E THE WALKING DEAD DEIXANDO A DESEJAR.

Hoje aconteceu um negócio engraçado lá na loja da minha mãe logo cedo. Lá por volta das 10:00, passou um cara na rua, montado em uma bicicleta, e atrás da bicicleta havia um carrinho de mão amarrado, como se fosse uma extensão da bicicleta, funcionando como “carroceria” do veículo. Dentro do carrinho de mão havia várias ferramentas, o que demonstrava que o moço que conduzia a bicicleta estava a caminho do seu local de trabalho. Só que ele estava andando com a bicicleta muitíssimo devagar, e no meio da rua 3, fazendo com que o trânsito congestionasse. Num determinado momento, logo que ele passou pela loja da minha mãe, alguém na calçada gritou alguma coisa (no mínimo ofensiva) para o homem da bicicleta, e ele começou a xingar, gritando: “SEU FILHO DA PUT*, NÃO ESTÁ VENDO QUE EU ESTOU TRABALNHANDO?” Nisso, eu estava atendendo uma moça na loja da minha mãe, e não pude ir lá na calçada averiguar o que acontecia. Ouvindo os gritos do moço chegando mais perto da loja da minha mãe, eu comecei a ficar preocupada. Quando de repente, olho para fora e está parado na frente da loja o moço, >>com um facão na mão<<, ameaçando o ser que o insultou de longe na calçada. Depois de ameaçar bastante, por uns 3 minutos, o cara pegou seu facão, voltou para sua bicicleta/carrinho de mão e foi embora. De longe, foi a coisa mais bizarra que vi esta semana. Um cara xingando a torto e a direito na rua, com um facão na mão. Esse mundo tá perdido mesmo! >_<

Ontem assisti o episódio semanal de The Walking Dead, e achei fraquíssimo. Na boa gente, pra saber que a Andrea é uma covardona, não precisavam desperdiçar um episódio inteiro para mostrar para os fãs essa coisa óbvia. Tava na cara que ela não ia conseguir esfaquear o Philip. Agora me diz, pra quê mesmo serviu o episódio dessa semana? Ainda não entendi. Pra mostrar que a Andrea não sabe a quem deve seguir? Isso a gente já sabe. 

Bom, espero que semana que vem a coisa melhore, porque essa semana foi uma das piores da série. De toda a série. 

Bom, vou indo nessa. Até amanhã. 

(:

Project 365 – 056/365

DSCF2347

 

PEDÔMETRO E PENSAR NA MORTE

Este aí de cima é o mais novo brinquedinho que ganhei esta semana. Minha mãe, na onda fitness que passou outro dia na tv, resolveu comprar um pedômetro (esse bicho aí de cima) para cada um aqui em casa. Não entendi muito bem o objetivo dela ao fazer isto, mas aceitei a parada, afinal, eu iria ganhar mais um aparelhinho curioso, que adentraria na minha coleção de equipamentos eletrônicos. O legal do aparelho é que ele mede a quantidade de passos que você dá em um determinado período (você escolhe o período, e quando achar que deve, pode resetá-lo e recomeçar a contagem), mede a distância, tanto em km quanto em milhas, que você percorreu, e o mais legal, estima aproximadamente quantas kcal você perdeu em toda essa jornada.

Como vocês podem ver, hoje eu andei pouco mais de 11.000 passos, o que resultou em aproximadamente 7km e pouco mais de 500kcal gastas. Achei o máximo isso. Só não sei ainda o que fazer com essas informações que serão geradas dia-a-dia, caso eu use isso diariamente. Por enquanto vou anotando os resultados e futuramente posso montar um gráfico, ou sei lá, escrever um artigo sobre mim mesma.. sahuashuhasuashasu.

O engraçado é que a minha mãe andou bem mais que eu (teoricamente, porque ela colocou o aparelho nela mesma antes que eu, então ele contabilizou mais passos que o meu), só que no meu aparelho apareceu que eu gastei mais calorias que ela. Gostaria de entender a forma como ele calcula o gasto calórico, já que eu andei menos e gastei mais, isso eu achei um pouco estranho, enfim..

Hoje passei o dia pensando em umas coisas um tanto desagradáveis. Nada grave, mas fiquei hipotetizando situações na minha cabeça, que pode ser que aconteçam futuramente, ou não. E fiquei um pouco assustada com a forma como eu reagi (quase chorei no meio da loja da minha mãe, no meio da tarde). É estranho pensar que um dia as coisas vão ter que tomar rumos diferentes, pessoas sairão da minha vida, seguirão em frente, eu precisarei seguir em frente. É meus caros, já cheguei no auge dos meus 24 anos, e já me preparo psicologicamente dia-a-dia para o pior (ou os piores). Assim como eu vi/ouvi/li em algum lugar que agora eu não me lembro onde foi, mas dizia que devemos pensar todos os dias na morte, e na perda, para que quando elas realmente acontecerem nosso psicológico e nosso emocional já estejam minimamente acostumados com a situação, e assim sofreremos menos.

Não fico pensando na morte todo dia, não é isso. Embora eu pense neste assunto pelo menos umas 3 vezes na semana. Mas eu sei que um dia, talvez não tão tarde assim, a minha vida seguirá um rumo diferente da vida de pessoas que eu amo, e o mesmo pode acontecer com essas pessoas que eu amo, a vida delas tomar rumos diferentes que a minha vida, e aí, como fica? Ainda estou amadurecendo a ideia de pensar sobre isso, visto que só de imaginar certas pessoas saindo da minha vida, eu começo a chorar descontroladamente. Isso precisa mudar.

Por hoje é só.

Até amanhã.

(:

Project 365 – 055/365

ImagemDOMINGO, PASSAR MAL E THE WAKLING DEAD HQ’S

Hoje passei mal o dia todo. Acordei com enjoo, mas mesmo assim passei a roupa pra minha mãe, lavei a roupa suja da semana, lavei meu cobertor, lavei meu carro e passei cera nele. Aí a tarde eu deitei, tentei ler um pouco de Deus, Um Delírio, mas estava passando muito mal e peguei no sono. Acordei quase 18:00, muito melhor.

Hoje decidi ler os quadrinhos de The Walking Dead. Uma vez eu tentei ler, mas não lembro ao certo o porque não continuei lendo a série em quadrinhos. Agora pretendo ler por inteiro, e ir acompanhando os lançamentos. Talvez eu não havia pego pra ler porque não tinha um gadget que facilitasse isso, como meu tablet (vejam a foto). Assim é muito mais fácil ler quadrinhos.

Vou ver filme agora, e talvez mais tarde eu volte para a internet.

Até mais.

(:

Project 365 – 054/365

Imagem

 

ROTINA E SAUDADES

Ando tão animada pra viver, que dá até gosto (notem na foto minha empolgação pra vida). 

Nada me incomoda mais do que ver que a minha vida caiu na rotina. As pessoas não sabem porque eu gosto tanto de estudar, gosto de ir para a faculdade, adorava ir para o colégio. Está aí o porquê: Porque nestes ambientes, nestas situações, não existe rotina. Cada dia é um novo dia, com novas coisas para aprender, com assuntos novos, acontecimentos novos, pessoas novas, e isso me anima, me faz querer viver. Agora, ir todo dia para o trabalho, seguindo sempre pelo mesmo caminho (meu pai não muda o caminho pra levar eu e minha mãe para o trabalho NUNCA), chegar na loja, fazer sempre as mesmas coisas, trabalhar, trabalhar e trabalhar, isso é muito deprimente. Sinto-me deprimindo a cada dia que passa. Graças às forças ocultas do Universo (porque não acredito em Deus, então jamais que eu falaria graças a Deus) só tenho mais uma semana pra ir na loja da minha mãe. Em março recomeçam as minhas aulas. Mesmo tendo uma aula aqui, e outra acolá na semana, será divertido encontrar os amigos, fazer novos amigos (nem acredito que estou dizendo isso, a pessoa que mais sente preguiça de fazer novos amigos querendo fazer novos amigos!? haha), aprender coisas novas, aproveitar os dias de forma diferente. Vai ser legal. Vai ser melhor. Mas enquanto isso não chega, me contento em encostar a cabeça nos meus braços entrelaçados e remoer as lembranças do passado, aquele passado em que eu fui feliz, fui feliz e não sabia (ou sabia, e de tanto saber, fez valer a pena, e agora sofre por não viver mais aquilo tudo). 

Sinto uma saudade enorme de certas coisas. Por exemplo dos tempos de colégio. Não sou dessas pessoas que relembram os tempos passados e dizem: “Se eu tivesse a mentalidade que tenho hoje, faria tudo diferente.” Eu não faria nada diferente, porque naquela época eu tinha a mentalidade daquela época, e fiz as coisas coerentemente com a minha mentalidade daqueles dias. Hoje olho para trás e sei que muita coisa eu poderia ter feito diferente, mas tenho consciência de que na época não era possível de ser feito assim, ou assado. É um modo simples de pensamento que evita que eu sofra com arrependimentos. E talvez o único arrependimento que eu poderia ter tido no tempo de colégio, eu consegui solucionar tempos depois, que foi o distanciamento de algumas pessoas que eram essenciais para mim. Depois de muito tempo reencontrei pessoas que eu jamais imaginei que reencontraria, e coloquei os pingos nos is. Tudo resolvido, sem arrependimentos, apenas lembranças. Lembranças boas. 

Por hoje é isso.

(:

Project 365 – 053/365

Imagem

 

CABELO NOVO E FALTA DE ASSUNTO (POST ATRASADO)

Pronto, me acostumei com o cabelo, e não pretendo voltar a ter cabelo escuro por um bom tempo. Quem gostou e está me elogiando, agradeço de coração, quem não gostou, vai pro inferno, e lide com isso (ou simplesmente não ande comigo se não gosta de gente loira). De verdade, nem quando eu cortei meu cabelo curto e alisei eu recebi tantos elogios como agora. Já até me pediram indicação da tinta que usei. O fato é que eu pintei o cabelo e no dia seguinte eu já queria escurecê-lo. Levou quase uma semana para eu me acostumar, e agora que isso aconteceu, ele ficará assim. Eu podia resumir tudo em uma simples frase: O cabelo é meu e eu faço dele o que eu quiser. Mas preferi ser mais gentil e agradecer quem gostou e está demonstrando isto. 

 Não vou me prolongar aqui, uma porque estou sem assunto, e dois porque já são 23:45 e eu ainda não bloguei hoje, ou seja, isso aqui tá atrasado. Então boa noite a todos e até amanhã (deixa eu upar isso logo, antes que vire o dia). 

(:

Project 365 – 052/365

Imagem

 

DORMIR MAL, ASSISTIR A FILMES E ALL TIME LOW

Ultimamente estou tendo problemas para dormir. Não que isso seja uma novidade, já que dormir sempre foi um problema na minha vida. Mas a questão é que, embora eu odeie dormir, sempre que deito para tal ato, eu durmo, e durmo bem, mesmo que por pouco tempo. Deve ser por isso que durmo pouco, porque no curto período que durmo, eu durmo muito bem. Só que ultimamente estou dedicando nada menos que 7 horas diárias ao sono e não está sendo suficiente. Eu deito, assisto um pouco de tv, e pego no sono (pelo menos teoricamente). Em todas as vezes que eu mudo de lado/posição na cama, eu acordo. Aí quando o despertador toca de manhã, eu acordo, mas tenho a sensação de que não dormi nada, e passo o dia zumbizando por conta disso. Não sei se é alguma coisa na minha alimentação que está causando isso, ou é falta de preocupações, sinceramente não sei. Só sei que está me irritando já. 

Hoje vou assistir a Quem quer ser um milionário, que está pra começar no TC Cult. Queria assistir a De Volta Para O Futuro – Parte III, mas infelizmente o DVD do filme não roda no meu aparelho de DVD, só no notebook, e estou sem ânimo pra ligar o notebook e começar a ver. 

E por fim, finalmente vou em um show do All Time Low. O Show acontece em julho em São Paulo, num festival com mais 5 bandas, entre elas 3OH!3 e Breath Carolina. Vou de pista VIP! :D 

Nem preciso dizer que já estou ansiosa para esse show. 

Bom, por hoje é só. A foto é dos quadrinhos que tenho pendurados no meu quarto, da trilogia De Volta Para O Futuro. Sou pouco fã! haha

(:

Project 365 – 051/365

ImagemMEGAMAN, PASSEIO NO SHOPPING E TÉDIO

Com certeza se eu pudesse e tivesse coragem suficiente para fazer uma tatuagem, essa imagem do Megaman seria uma que eu tatuaria, na parte interna do braço esquerdo. Ou talvez eu tatuaria essa imagem no ombro (naquela parte frontal do ombro onde tantas pessoas tatuam uma estrela). Seria um local mais coerente de se tatuar, afinal ficaria escondido grande parte do tempo, não estragando meu futuro profissional, como alegam meus pais sobre o conceito de tatuagem. Essa, na verdade seria a segunda tatuagem, porque tem um ‘desenho’ que é o primeiro da fila há anos, mas sobre ele eu falarei mais pra frente.

Hoje fui no shopping agora a noite, e dei umas voltas de carro na cidade. Ando com uma necessidade sobre humana de querer ficar sozinha. Deve ser porque passo o dia inteiro com a minha mãe na loja, chego em casa e ainda tenho que compartilhar da companhia dela e do meu pai, que ultimamente só me dá atenção para me criticar. Brigamos feio no sábado passado, e ele ainda está ignorando fortemente a minha presença dentro de casa. Não o culpo por isso, eu fui muito ruim com as coisas que falei pra ele no sábado, mas já deixei quieto.

Ultimamente ando bastante entediada, principalmente no trabalho lá na loja da minha mãe. Hoje eram 10:00 e eu estava super com vontade de pegar uns textos que separei e voltar a escrever meu TCC, mas infelizmente eu tenho que ficar na loja sem fazer nada. Hoje ficamos quase uma hora durante a tarde sem que alguém pusesse os pés dentro da loja. Uma hora perdida. Uma hora de pura inutilidade. Acho o cúmulo isso, ter que ficar de plantão lá, sendo que eu poderia estar lendo, adiantando meu TCC, estudando outra língua, jogando videogame, sei lá.. Só que eu chego em casa morta, de ter ficado o dia todo em pé, entediada, com dor nas costas, o que eu quero é deitar, ver tv e dormir. Nem videogame estou tendo energia pra pegar pra jogar. Outro dia liguei Dirt 3 no Xbox360 e quase dormi com o controle na mão. É mole?

Bom, por hoje é isso.

(:

Project 365 – 050/365

Imagem

 

CABOS, SPEED RUN DE MEGAMAN 7 E AMIGOS DE INFÂNCIA

Na era do Bluetooth, do Wireless, essas modernidades sem fio, e eu aqui, tendo que comprar uma caixa MAIOR para guardar os cabos dos gadgets que possuo. É mole? Ainda que fossem somente os fios, mas são os fios + as enormes plugs dos carregadores + os fones de ouvido (afinal, hoje em dia é capaz de você comprar uma geladeira e ela vir com fone de ouvido, TUDO VEM COM FONE DE OUVIDO, devo ter uns 10 fones de ouvido diferentes aqui). Por falar em fones de ouvido, sensacional essa ideia que tiveram de relançar os fones de ouvido grandões, de colocar na cabeça e tal. Quem joga videogame na madrugada, como eu, sabe o quão sensacional é a experiência de se jogar com um desses bichos, sem ter o desprazer e a vergonha de, no auge dos 24 anos, tomar uma bronca da mãe ou do pai porque está fazendo barulho no meio da madrugada, e ser pego jogando Rayman Origins no Xbox360 com o som incomodando até o vizinho da esquina. 

Por falar em jogos, acabei de assistir a um vídeo de um speed run de Megaman 7. Estava eu perambulando pela home do YouTube quando vejo o novo Daily Vlog do Izzy Nobre. Clico, assisto o vídeo e quando está pra terminar, olho do lado, nos vídeos indicados ao meu perfil e vejo o link pro vídeo do speed run do Megaman 7. O cara terminou Megaman 7 em 41 minutos. Eu não consegui terminar em 12 anos que conheço o jogo. Sério. O máximo que eu consegui sozinha foi a primeira fase do foguete/castelo/só-o-capeta-sabe-o-que-é-aquilo, depois dos 8 chefões. Com cheat e password eu chego no último Dr. Wily, quando ele entra na navezinha que solta todo tipo de poder, disso eu não passo. O cara do vídeo faz umas coisas que eu jamais imaginaria que era possível. Por exemplo usar a rasteira para passar por espinhos no chão. Nem em sonho eu imaginaria que isso seria possível. Outra coisa que ele faz com maestria é coordenar exatamente de onde soltar o Freeze Cracker, os pedacinhos de gelo ricocheteiam as paredes do ambiente e matam todos os inimigos da tela. Tem que ter a precisão de um jogador profissional de sinuca pra fazer isso. Ele usa da mesma estratégia para se esquivar das Wild Coils em um dos chefões das fases finais, por exemplo. Ele sabe exatamente onde posicionar o Megaman pra ele não perder nada de life. A não ser que o vídeo seja magnificamente editado, o que eu não acredito que seja, o cara é realmente muito bom. 

Notem a paixão que eu tenho por esse jogo. Se deixar eu falo dele a noite toda. Afinal, um dos períodos mais marcantes da minha vida foi compartilhado com o conhecimento deste jogo. Foi no auge dos meus 12 anos que eu conheci o jogo, em um dos momentos em que eu realmente mudei de amizades aqui no florença. Meus melhores amigos de infância haviam se mudado do condomínio, e eu tinha a opção de ficar em casa sem fazer nada de útil, ou fazer nada de útil na rua, andando de bicicleta. Em uma dessas andadas de bicicleta, ou de alguma outra forma que eu no momento não me lembro, eu conheci uma menina, a Lilian, e quase que instantaneamente, conheci o irmão dela, o Marcel. O engraçado é que desde criança eu sempre simpatizei melhor com os meninos, com as brincadeiras de meninos. Quando a Lilian me chama para ir até a casa dela e eu vejo que o irmão dela estava jogando videogame, imediatamente eu ignorei a presença da menina (ohh dó, mas foi bem assim mesmo, criança não pensa pra fazer as coisas, não tem essa malícia) e comecei a brincar todo dia com o menino. Todos os dias, após as aulas (as minhas, que eram a tarde), eu ia na casa do Marcel jogar videogame, e como já contei várias vezes aqui, um belo dia eu aluguei o Megaman 7 (que no caso era a versão japonesa do jogo, então era Rockman 7), e de tanto alugar e infernizar a vida do cara da locadora, ele resolveu me vender, se eu não me engano, por 15 reais.  Um dia detalharei melhor esse assunto sobre amizades aqui no blog, e como elas surgiram (se a minha memória colaborar). 

 

Por hoje é só.

(: